Cruzeiro no Volga

(if you want to see this introduction in another language click in the “translate” button in the right upper corner and chose your language.  It will be an automatic Google translation. in case of dificulties use Crome or Internet Explorer Browser)


Visitar a Rússia entre S. Petersburgo e Moscovo, num cruzeiro, é sempre um imaginário que desafia a realidade da beleza natural, e nos confronta com os marcos arquitectónicos da história e da cultura Russa nos seus diferentes períodos.
A equipa do Departamento de Professores e Educadores do SPGL  conseguiu transformar este sonho em realidade. Muito obrigado.

Departamento de Professores e Educadores do SPGL
Partilho uma viagem que fiz e convido-o(a) a fazer uma viagem virtual seguindo o caminho percorrido.
O povo russo foi ao longo do tempo dominado por várias oligarquias (Czarina, Soviética e pós Soviética).
Para um melhor entendimento da realidade é recomendável uma consulta sobre os diferentes períodos:
A história das origens da Rússia  - http://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_da_R%C3%BAssia
A revolução Soviética - http://www.suapesquisa.com/russa/

S. Petersburgo

Chegada ao cruzeiro, a receção o “welcome party
O barco é um navio de média dimensão, silencioso, com os mínimos de conforto necessários para uma viagem deste tipo. A época de cruzeiros funciona entre meados da primavera e do outono. O restante período a navegação está bloqueada no Volga, outros rios e restantes canais por se encontrarem gelados. As pessoas a bordo são atenciosas e esforçam-se por proporcionar uma viagem muito agradável.

http://youtu.be/sVmMycf9w2I 


Pelas ruas de S. Petersburgo
Pedro o Grande, também conhecido por Pedro I, foi o grande impulsionador da Rússia moderna e europeia. Viajou muito pela Europa, principalmente pela Holanda e criou a cidade de S. Petersburgo em 1703, tendo instalado aí a capital, deslocando-a de Moscovo.
Recheando a de monumentos e palácios. Hoje é uma cidade bonita, monumental, moderna, com largas avenidas e abundantes canais e suportada numa sólida industria e finança. Tem cerca de 11 milhões de habitantes. Ao longo do tempo foi assumindo também vários nomes como: Leninegrado e Petrogrado.



Pelos canais de S. Petersburgo
Os canais são um “ex-libris” de S. Petersburgo. Também conhecida como Amesterdão do norte. Navegando pelos seus canais desfruta-se de aspectos importantes da arquitetura local, bem como de representativos monumentos da cidade.



O Ballet na Rússsia
A Rússia é uma referência mundial em Ballet clássico e visitar a Rússia, sem assistir a um espectáculo de Ballet, será certamente uma lacuna importante. Tivemos o privilégio de o fazer, a convite de amigas Russas. Algo a não perder…



S. Petersburgo à noite
Todas as cidades nos mostram outra beleza durante a noite.
video
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

(Vídeo de Artur Baptista)


Os jardins de Peterhof
Peterhof - Petergof; originalmente Peterhof, que em alemão significa "Corte/Jardim de Pedro, é um conjunto de palácios e jardins, construido sob as ordens de Pedro, o Grande, e por vezes chamado de "Versailles Russo". Fica situado nas proximidades de uma cidade de 82.000 habitantes com o mesmo nome, a cerca de trinta quilómetros da antiga capital russa, São Petersburgo (20 km a Oeste e 6 km a Sul), com vista para o Golfo da Finlândia, um braço do Mar Báltico. Assim como todo o Centro Histórico de São Petersburgo, o palácio do Peterhof faz parte do Património Mundial da UNESCO.
Conhecida por ter servido de habitação de verão ao fundador da cidade, o Czar Pedro, O Grande, foi erguida entre os anos de 1714 e 1725. No entanto, o monarca já planeava construir este magnífico edifício desde 1705, dois anos depois da fundação de São Petersburgo, a "Cidade de São Pedro".


O  Palácio de Catarina II
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pal%C3%A1cio_de_Catarina 
O Palácio de Catarina é um palácio Rococó da Rússia, que serviu de residência de Verão aos Czares. Fica localizado na cidade de Tsarskoye Selo (Pushkin durante o período soviético), 25 quilómetros a Sudeste de São Petersburgo.
Teve a sua origem em 1717, quando Catarina I encarregou o arquitecto Johann-Friedrich Braunstein de construir um palácio de Verão para seu prazer. Em 1743, a Imperatriz Ana contratou Mikhail Zemtsov e Andrei Kvasov para expandir o Palácio de Catarina. A Inperatriz Isabel, no entanto, achou a residência da sua mãe fora de moda e incomoda, pelo que em Maio de 1756 pediu ao arquitecto da Corte, Bartolomeo Rastrelli, que demolisse a velha estrutura e a substituísse por um edifico muito maior no estilo Rococó flamejante. A construção estendeu-se por quatro anos e no dia 30 de Julho de 1756, o arquitecto apresentou um novo palácio de 325m de comprimento, à Imperatriz, aos seus deslumbrados cortesãos e aos estupefactos embaixadores estrangeiros.
Durante a vida de Isabel, o palácio teve fama pelo sua opulência exterior. Foram usados mais de 100 kilogramas de ouro para dourar a sofisticada fachada de estuque e numerosas estátuas erguidas no telhado. Existiram mesmo rumores de o telhado do palácio era inteiramente construído em ouro.
Apesar de o palácio estar popularmente associado a Catarina, a Grande, ela, na verdade, olhava a sua arquitetura como fora de moda.
Quando subiu ao trono, um grande número de estátuas no parque estavam cobertas de ouro, de acordo com as últimas vontades da Imperatriz Isabel.
Nas suas memórias, Catarina censura a incauta extravagância da sua predecessora: "O palácio estava então a ser construído, como um trabalho de Penélope: “o que foi feito hoje, é para ser desmanchado amanhã”.
Palácio foi feito e desfeito, seis vezes até às fundações e depois reconstruído de novo, até ao seu estado atual.


Hermitage
O Hermitage  é um museu de grande dimensão e prestigio internacional. Localizado nas margens do rio Neva, em São Petersburgo, na Rússia. É um dos maiores museus de arte do mundo e sua vasta coleção possui itens de praticamente todas as épocas, estilos e culturas da história russa, europeia, oriental e do norte da África. O seu papel principal foi ser o Palácio de Inverno, e a residência oficial dos Czares quase desde sua construção até a queda da monarquia russa.
Organizado ao longo de dois séculos e meio, o Hermitage possui hoje um acervo de mais de 3 milhões de peças (todas compradas, contrastando com outros museus análogos). O museu mantém ainda um teatro, uma academia musical e projetos subsidiários em outros países. O núcleo inicial da coleção foi formado com a aquisição, pela imperatriz Catarina II, em 1764, de uma coleção de 225 pinturas flamengas e alemãs.


O Cruzeiro
01 – As comportas
A ligação entre s. Petersburgo e Moscovo pelos rios Neva, Volga e outros lagos,  não é fácil, dado o desnível existente (162m).
A navegabilidade é assegurada pela existência de um número expressivo de eclusas, que regulam o nível das águas entre os rios os vários canais e lagos. É interessante ver como o engenho e a arte estão desde longa data profundamente presentes na realidade histórica Russa. 


O campanário afundado mostra de forma muito clara o número de metros que foi necessário corrigir ao leito de rios e canais para os tornar navegáveis entre Moscovo e S. Petersburgo. 


02 - Mandrogi
http://goo.gl/lI7nBT
Uma aldeia que pretende ser tipicamente Russa, mas segundo alguns comentários publicados foi exclusivamente feita para turistas.

Kizhi é uma ilha russa situada no Lago Onega da divisão federal de República da Carélia.
É constituída por um conjunto de três grandes construções eclesiásticas de madeira, antigas e com arquitectura peculiar, presente na ilha Kizhi, Lago Onega (Rússia), é Património da Humanidade (UNESCO). As construções (duas igrejas e uma torre-de-sino) estão em área delimitada, ainda que o resto da ilha abrigue belas estruturas em madeira, que incluem moinhos, capelas, barcos, saunas, celeiros, depósitos de grãos e casas. É um dos mais populares destinos turísticos da Federação Russa.


03 - Goritsy Monastery
O Mosteiro da Ressurreição Goritsy é um convento Ortodoxo Russo (mosteiro feminino) na aldeia de Goritsy, Kirillovsky District, Vologda Oblast, Rússia. O convento situa-se 15 km (9,3 milhas) a norte da cidade de Kirillov, Kirillovsky Distrito. Foi um local historicamente importante, assim como um dos mais ricos mosteiros em que o czar Ivan, o Terrível, havia planeado se aposentar.
Desde 1970, o Kirillo-Belozerksy museu-Zapovednik de História, Arte e Arquitetura operou partes do complexo Goritsky. Peças do convento Goritsky foram reabertos para fins religiosos, duas décadas depois, e a partir de 2011 Goritsky foi um dos quatro mosteiros atuando no Vologa Oblast, e que é o único para as mulheres religiosas.



05 - Yaroslavl
A cidade de Yaroslavl situa-se a norte de Moscovo é a capital do Ooblasto. Contava em 2002 com 635.600 habitantes.
Foi fundada no início do século XI pelo grão-príncipe de Kiev Yaroslav, o Sábio, na confluência dos rios Volga e Kotorosl. Nos séculos XVI e XVII foi o primeiro porto do Volga e a segunda cidade da Rússia em importância. Destaque para a igreja do Profeta Elias, do século XVII, e para o Mosteiro da Transfiguração do Salvador, fundada no século XII é um dos mais importantes do país.


06 – Uglitch
Uglitch é uma cidade da Rússia, no oblast de Iaroslavl. Uma das mais antigas do país, é conhecida desde 937, e foi centro dum dos principados dependentes russos antigos. Com uma população de cerca de 35 mil habitantes (2009), Uglitch está localizada sobre as margens no rio Volga,. Tem um porto fluvial, uma estação ferroviária, uma central hidroeléctrica, fábrica de gruas automóveis e uma indústria de manteiga e queijo. Sua principal atividade económica, no entanto, é o turismo nacional e internacional, devido às suas muitas igrejas antigas e museus, além de belas vistas.
Boa parte do turismo em Uglitch também está relacionada aos cruzeiros pelo rio Volga.
Yaroslavl e  Uglitch


Moscovo
http://pt.wikipedia.org/wiki/Moscovo
Moscovo é a cidade capital da Russa e é uma referência, pela sua dimensão histórica e arquitetónica. Rica histórica e culturalmente, desenvolveu-se ao longo do rio Volga e tem o seu centro histórico em volta do Kremlin e Praça Vermelha, algo a não perder quando se visita a Rússia.

1 – Pelas ruas de Moscovo
Divagar pelas ruas de Moscovo, dá-nos uma ideia clara da dimensão e valor histórico desta grande cidade.


2 – Praça Vermelha e Catedral de S. Basílio
A praça vermelha e a basílica de S. Basílio são algo de elevado valor estético e arquitectónico que têm sido uma referência em todos os períodos da história russa.
É à sua entrada que está definido o ponto onde são marcadas as distâncias a todos os locais da Rússia.
A Praça Vermelha é hoje um dos locais da Rússia mais visitados por turistas e com toda a razão…




3 – O Kremlin visitável e o Render Da Guarda
O Kremlin tem uma parte visitável e outra Politica. Onde está o poder politico encontramos sempre representado o poder religioso e as suas magnificas catedrais.
O render da guarda é também sempre um ato espetacular em qualquer país e em qualquer local. Em especial quando o formalismo assume aspectos formais peculiares.


4 - O Kremlin político
O Kremlin político, é o local reservado ao Governo Russo e tem enorme imponência visto do exterior.
Foi ao longo do tempo o cento do poder político com toda a sua pompa e circunstância. A sua visita é limitada. Dificilmente descritível por palavras.

5 – Metro
O metro de Moscovo, é um dos mais famosos do mundo pela sua exuberante decoração. Vale a pena ver…
6 – Moscovo à noite
Todas as grandes cidades apresentam uma faceta importante e novos encantos durante a noite. Não só por proporcionar uma nova visão da sua monumentalidade como também pelo seu exotismo e movimento humano. Moscovo não poderia fugir à regra…




7 - Danças Russas
As danças russas são algo de difícil descrição por palavras. O espectáculo de dança proporcionado pelo grupo “Kostroma” é algo a não perder.


8 – Igrejas Russas
Importante número de Igrejas e Catedrais russas foram objecto de destruição e vandalismo e sectarismo religioso durante três importantes períodos da história russa. Invasão Francesa, período Soviético e Invasão Alemã durante a Segunda Guerra Mundial. Segundo as referencias consultadas, talvez o período soviético tenha sido o mais violento.



9 – Aprenda os básicos de Russo em 10m
Aqui vai ter (a ser publicado brevemente) numa lição dos mínimos básicos de Russo que pode aprender em 10m, recomendável para uma viagem. Que sugiro para si ou para um amigo.
·         Para portugueses falantes
·         For English speakers
·         Para hablantes de español